A dor de garganta, que é bastante recorrente para algumas pessoas, principalmente no frio, não é uma doença em si. Ela é apenas o sintoma de uma doença, que pode ser uma amigdalite, uma faringite ou até algo mais grave.

O Bem Estar desta terça-feira (17) entrou dentro de uma boca gigante para mostrar o que é o que dentro da garganta humana. A infectologista Rosana Richtmann e o otorrinolaringologista Marcelo Hueb nos acompanharam nessa viagem.

A amigdalite é a causa mais comum da dor de garganta. As amígdalas ficam na parte superior da garganta e servem para defender o organismo. Elas são cheias de pequenos buracos, chamados criptas, que servem para reter bactérias, vírus e fungos.


Só que o guardião do corpo também pode ser vítima dos agentes externos. Quando a pessoa fica fraca, com imunidade baixa, os vírus e bactérias podem causar inflamações da própria amígdala. A doença causada pela bactéria é um pouco mais pesada que a que o vírus provoca, conforme mostra o quadro ao lado. Como a doença é causada por um agente externo, o beijo na boca pode sim transmiti-la.

Algumas pessoas são mais propensas à amigdalite. Quando a doença é recorrente, as amígdalas sofrem uma alteração no formato, de tanto inchar e desinchar. Além dos poros, elas ficam com mais relevo, umas dobrinhas que facilitam o acúmulo de vírus e bactérias. É meio caminho andado para o surgimento de novas infecções.

No passado, a retirada das amígdalas era bastante comum. Hoje em dia, a operação ainda é feita, mas só quando a inflamação é muito recorrente – cinco vezes ao ano – e quando o inchaço é tão grande que dificulta a respiração.

O frio favorece o surgimento da inflamação porque diminui a defesa do organismo. Por isso, quem já tem propensão deve evitar hábitos como ficar com o cabelo molhado e consumir bebidas muito geladas. Durante a crise, não se deve tomar nada nem muito quente, nem muito frio.

O problema é mais recorrente nas crianças, o que pode ser explicado por quatro fatores. A amígdala em crescimento é naturalmente mais exposta ao risco de inflamação. O sistema de defesa delas ainda não está completamente desenvolvido e não é tão forte quanto o dos adultos. Além disso, ambientes como berçários e festas infantis facilitam a transmissão de vírus e bactérias. Por fim, elas também correm maior risco de ter refluxo, que é um agravante.

Um gargarejo de água morna e sal costuma aliviar a amigdalite. O processo tira secreção acumulada e o excesso de água que fica nas amígdalas durante a inflamação. Pastilhas normalmente servem apenas como analgésico e não atacam a doença em si.

Outras doenças
Outra inflamação comum na garganta, que pode ser confundida com a amigdalite, é a faringite. A faringe fica atrás do nariz e desce por trás da boca até o esôfago, que é por onde os alimentos passam. A faringite é a inflamação da faringe, e também pode ser causada por vírus e bactérias.

Mas a grande preocupação dos médicos em relação à dor de garganta é o câncer de laringe, o mesmo que o ex-presidente Lula teve. Esse câncer é mais comum entre os homens e mata 90 mil pessoas por ano em todo o mundo.

O principal fator de risco para o surgimento desse câncer é o cigarro – ele é 14,3 vezes mais comum entre os fumantes. Outros fatores de risco são a bebida alcoólica, o refluxo e o HPV, um vírus sexualmente transmissível.

A possibilidade de cura fica acima de 90% quando o diagnóstico é feito no início. Por isso, é recomendado procurar um médico otorrinolaringologista se uma rouquidão durar mais de uma semana e for seguida de dor de garganta, ardência, pigarros frequentes, dificuldade para respirar e para engolir.
Fonte: Do G1, em São Paulo

Um comentário para “Dicas de saúde: Dor de garganta pode ser um sinal de doença mais séria na região”
  1. dayane disse:

    minha mae esta com a garganta irritada a mais de 1 mes e nao melhora , a garganta esta toda vermelha o q poderia ser? estou muito preocupada pois tenho medo d ser algo mais serio

  2.  
Comentar