espraiadoVárias manifestações sobre atos de violência e insegurança no Distrito chegaram ao conhecimento da redação do SITE GIRO DE NOTÍCIAS. O povo reclama de roubos, vandalismo, desordem pública, som alto, motoqueiros com motos barulhentas, pessoas armadas, arruaças entre outras coisas. Sabemos que a solução para o problema da violência urbana envolve não apenas a questão da segurança pública, mas também questões como melhoria do sistema de educação, moradia entre outros fatores e requer uma grande mudança nas políticas públicas e na sociedade como um todo.

Espraiado tem hoje uma população de aproximadamente 4 mil habitantes, fica a quase 50 quilômetros de distância da sede do município. A população, completamente insegura e amedrontada, faz um apelo às autoridades competentes, no sentido de que ações sejam empreendidas a fim de coibir esses atos de violência e que a segurança das pessoas de bem que residem no Distrito seja mantida.

Segundo os moradores a situação está insustentável. “Não aguentamos mais esta insegurança. As pessoas não podem mais assistir televisão, nem dormir e muito menos estudar, pois os que se acham donos da rua não respeitam os direitos dos moradores de bem. Os problemas aqui são vários: roubos, som alto, pessoas andando armadas, motos barulhentas altas horas da madrugada e pessoas estranhas fazendo bagunças na localidade. Agora pergunto cadê os vereadores, prefeito, deputados e governador? Precisamos de vocês agora, Espraiado não pode ficar desse jeito, alguém precisa tomar uma providência urgente, antes que seja tarde demais”, desabafou um morador.

Diante desse apelo, é imprescindível que os poderes públicos, na pessoa do estado e do município reúnam forças e possam assumir a responsabilidade que lhes cabe em adotar providências para resolver o problema da insegurança do Distrito de Espraiado, disponibilizando um policiamento constante de forma que possa garantir aos cidadãos o direito de ir e vir sem correr riscos ou se sentir amedrontados em seu próprio lugar, enfim o direito à segurança.

Por: Giro de Notícias

Facebook Comments
Comentar