MSTMembros da cúpula do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na Bahia reagiram à declaração de apoio prestada por João Pedro Stédile, líder nacional do movimento, ao secretário estadual de Planejamento, José Sérgio Gabrielli, que disputa a condição de candidato do PT para o governo baiano em 2014. Por meio de nota, a direção do MST no estado reiterou a preferência pelo secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa, apontado como o petista preferido do governador Jaques Wagner para disputar a sucessão. “Em relação ao vídeo postado nas redes sociais e veiculado nos meios de comunicação da Bahia, afirmamos que tal posicionamento reflete uma opinião pessoal de nosso companheiro e não uma posição da direção do MST na Bahia”, afirma Márcio Matos, sobre o depoimento gravado por Stédile a favor do ex-presidente da Petrobras. Integrante da direção nacional do movimento, Matos explicou a preferência da ala baiana do movimento pelo chefe da Casa Civil. “Estamos com ele pela sua relação histórica com o MST baiano, desde os tempos em que o mesmo era dirigente do Sindiquímica, e pela sua atenção na pauta da reforma agrária no estado”, argumentou. De acordo com a nota, a candidatura de Costa também é defendida pelo deputado federal Valmir Assunção (PT) e pela secretária estadual de Política para as Mulheres (SPM), Vera Lúcia Barbosa, ambos ligados ao MST da Bahia. Por Rodrigo Aguiar

Facebook Comments
Tags:, ,
Comentar