ACM NETOA pesquisa realizada pelo Instituto Séculus em parceria com o Bahia Notícias mostra que o eleitor soteropolitano daria o aval para o prefeito ACM Neto (DEM) largar a gestão municipal, com pouco mais de um ano de mandato, e concorrer para o governo do Estado. Uma das perguntas feitas para o eleitorado de Salvador foi se o mesmo votaria em no democrata, caso ele decidisse brigar para assumir o posto ocupado hoje pelo chefe do Executivo baiano, Jaques Wagner (PT). Nada menos que 43,2% dos entrevistados afirmaram que votariam em ACM Neto. O gestor ainda poderia correr atrás de outros 22,5%, que responderam “provavelmente votaria”. Já 8,3% disseram que a decisão dependeria dos outros nomes no páreo. Não votaria de jeito nenhum foi à opção de 17,7% dos pesquisados e 6% afirmaram: “ainda é cedo para decidir”. Apenas 2% responderam que não sabiam.

O levantamento também foi a campo saber como é a avaliação da gestão dos governantes responsáveis por resolver problemas dos soteropolitanos, baianos e brasileiros. Neste quesito, ACM Neto bate o governador Jaques Wagner. O prefeito de Salvador teve a gestão classificada como ótima por 26,6% dos entrevistados, boa por 27,3%, enquanto 32,1% disseram que o trabalho merece apenas um regular. Na outra ponta, 6,4% responderam que a gestão é ruim e 5,3% péssima. O restante – 2% – não opinou. Em relação ao governador da Bahia, a pesquisa no âmbito estadual teve um patamar da classificação regular parecido para a gestão de Wagner: 33,5%. No entanto, apenas 8,5% consideraram o trabalho do petista como ótimo e 17,8% bom. Wagner ainda recebeu avaliações negativas com um porcentual maior que Neto, ao somar 12,8% dos entrevistados com a resposta ruim e 19,2% péssimo. Já a presidente Dilma Rousseff (PT) foi bem avaliada pelos baianos, com o comando considerado por 23,5% dos entrevistados como ótimo, 31,4% bom e 29,2% regular. Já 6,4% classificaram a condução do governo federal como ruim e 4,2% péssima.

A pesquisa Séculus/Bahia Notícias exclusiva de Salvador foi realizada de 4 a 6 de fevereiro, com 780 eleitores, de todas as classes sociais, sexos e áreas de atuação. Os pesquisadores fizeram o levantamento na capital baiana e nas ilhas que fazem parte da cidade. Na avaliação estadual, as entrevistas foram colhidas entre 2 e 6 de fevereiro, com 2 mil 290 pessoas, em 72 cidades baianas, de 26 territórios de identidade. A margem de erro, em ambas, é de 3,9 pontos porcentuais.

Por:Bahia Notícias

Facebook Comments
Tags:,
Comentar