embasa2Caetité vive um verdadeiro paradoxo na área do abastecimento, já que, a cidade já vive o fantasma do racionamento, mas, em contrapartida, em uma estação da Embasa, no meio rural, localizada na região da Comunidade da Tábua, o desperdício do precioso líquido é visível, causando indignação nos moradores da região, os quais já convivem com um desabastecimento em uma escala preocupante, já que o lençol freático, devido ao grande número de perfurações de poços vem diminuindo a sua vasão.

Segundo uma denúncia feita em uma rede social pelo radialista Luiz Benevides, “são vários poços que sugam dia e noite enquanto isso os moradores da região enfrentam dificuldades, uma vez que as cisternas já secaram e os poços de propriedades particulares já diminuíram mais de 50% da vazão, inclusive o poço da Associação que além de abastecer a comunidade local, serve também a outras localidades vizinhas como Lagoa de Dentro, Cinzeiro e adjacências, perfazendo um total de mais de 200 famílias”.

Ainda segundo os detalhes denunciados pelo referido radialista o vazamento acontece no período noturno e água escorre por um percurso de cerca de dois quilômetros, em uma época onde vários municípios da região estão decretando estado de emergência pela escassez de chuvas.

embasa3Fica aqui um registro preocupante no qual o órgão que deveria dar o exemplo, acaba desperdiçando milhares de litros de água de boa qualidade que poderia servir inúmeras comunidades , além de contribuir para o abastecimento na própria sede do município, que vive o racionamento com a tendência de piorar, caso o índice de precipitações pluviométricas nos próximos dias não venha a atender a grande necessidade dos caetiteenses, que vivem, mais uma vez, o racionamento bem na época em que deveria estar chovendo, como é o referencial histórico da região do semiárido.

Por: Sudoeste Bahia

Facebook Comments
Comentar