SonoNão é que ler dá sono. O que faz a pessoa ressonar depois de passar os olhos em alguma página é a presença de algumas substâncias químicas que agem no corpo. A adenosina, que se acumula ao longo do dia, é uma delas. Quanto mais adenosina, maior é o sono. Segundo Fábio Haggstram, diretor do Centro de Distúrbios do Sono do Hospital São Lucas, de Porto Alegre, a hora da leitura está associada ao problema de dormir em cima do livro. A segunda substância envolvida no sono é a melatonina. Reguladora do sono, a substância é liberada quando o ambiente escurece. Isso explica o fato de que dormimos normalmente à noite. Como a luz inibe a produção de melatonina, quem lê no tablet, por exemplo, tende a sentir menos sono do que quem lê no papel. O fato explica também por é mais fácil passar horas na internet ou à frente da televisão do que ler um bom livro de madrugada. Veja algumas dicas para não cair no sono ser resolver abrir um livro:

Começou a bocejar? Levante e dê uns pulos. Estar acordado é reagir a estímulos, e esse pequeno exercício nada mais é do que um estímulo motor;

Ler em voz alta exercita outras partes do cérebro, como o lobo temporal (ligada à audição) e o lobo frontal (associado à fala), e acaba com aquela preguiça momentânea;

Ler sentado. A não ser que você tenha problema na coluna, é mais difícil dormir sentado do que deitado. Para dormir, é preciso relaxar toda a musculatura, o que não ocorre sentado. Informações da Superinteressante.(BN)

Facebook Comments
Comentar