Foto: Tiago Melo | Arquivo/ BN

Foto: Tiago Melo | Arquivo/ BN

A operação 13 de maio, deflagrada na manhã desta terça-feira (13), e que busca prender dois prefeitos da Bahia começou quando houve a suspeita de malversação do dinheiro público. De acordo com a Polícia Federal, os indícios surgiram em 2009, quando os professores do município de Fátima deveriam receber de tributos R$ 1,2 mil e receberam apenas R$ 147. O resto do valor, de acordo com a PF, era “embolsado” pelos secretários e prefeito. O dinheiro, cuja soma chega a R$ 30 milhões, é do governo federal e chegava na prefeitura através do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em Salvador, agentes da PF vasculharam escritórios no bairro do Costa Azul e saíram de lá com quantidades de documentos que devem ser periciados. Segundo a denúncia, o grupo usava empresas de fachada para realizar serviços de engenharia, transporte escolar e shows.O esquema tem sede no município de Fátima, mas agia em várias cidades do nordeste do estado há mais de 10 anos.

Por Marcos Russo/Bahia Notícias

Facebook Comments
Comentar