professores do semiáridoCerca de 500 educadores de escolas públicas da Chapada da Diamantina e do semiárido baiano estão acampados em Brasília desde este sábado (17) e fazem uma série de protestos. Nesta segunda-feira (19), eles vão entregar ao ministro da Educação Henrique Paim, algumas propostas como forma de melhorar a qualidade do setor na região. Entre outros pontos, os educadores querem a vinculação do pagamento do Bolsa Família a resultados efetivos na escola, além da frequência e garantia legal de que programas e ações de governo, nas três esferas, tenham continuidade após mudanças de governo. Uma versão final do documento deverá ser entregue aos candidatos à presidência da República. Neste sábado, os profissionais vestiram camisetas do movimento Educação em Nossas Mãos e portavam faixas e cartazes em que cobravam mais investimentos no setor. O grupo chegou à capital federal ainda de madrugada. Eles ocuparam uma das seis faixas do Eixo Monumental, uma das principais vias da região central de Brasília. Depois, marcharam da Catedral Metropolitana até o Congresso Nacional. “Viemos a Brasília, centro decisório do país, com o intuito de influenciar nossos governantes”, afirmou à Agência Brasil a diretora do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa, Cybele Amado de Oliveira. Cibele contou que o grupo já fez outros atos no interior baiano. “Mas aqui estão o Congresso Nacional, os ministérios, todos [os órgãos e pessoas] que deveriam estar absolutamente voltados para a educação”, acrescentou. Informações da Agência Brasil.

Facebook Comments
Comentar