Foto: Estadão Conteúdo

Foto: Estadão Conteúdo


Um dia antes da convenção nacional do PMDB, o vice-presidente Michel Temer fez uma peregrinação por diferentes núcleos do partido para pedir votos em favor da aliança nacional com o PT. Temer fez ainda um apelo para que a militância do partido, com ou sem direito a voto, faça boca de urna pela reedição da chapa encabeçada pela presidente Dilma Rousseff – e com Temer mais uma vez como vice – nas eleições de 2014. “Peço a quem não seja convencional que amanhã faça boca de urna”, disse Temer, que logo depois emendou que nas convenções partidárias a prática – embora restringida pela legislação nas eleições – não é proibida. “Sem embargo de diferenças locais, precisamos dar uma demonstração de unidade nacional”. Acompanhado pelo presidente em exercício do partido, senador Valdir Raupp (RO), e pelo presidente da Fundação Ulysses Guimarães, deputado Eliseu Padilha (RS), Temer discursou em reuniões dos núcleos do PMDB Socioambiental, Sindical, Afro e Jovem, que se reuniram no corredor das comissões da Câmara dos Deputados. Ao pedir votos amanhã na convenção, Temer e Raupp afirmaram que a sigla deve crescer nas eleições deste ano. Com isso, eles buscam rebater um dos principais argumentos da ala dissidente da legenda, que defende a implosão do acordo nacional com o PT. Esse grupo alega que o PMDB é um partido municipalista e que pode encolher caso dê prioridade para a disputa nacional. De acordo com Raupp, o PMDB deve eleger entre 10 e 12 governadores neste ano, além de uma grande bancada federal. Além do mais, ele disse que a reedição da aliança nacional faz parte de um projeto de fortalecimento do partido, de modo que nas eleições de 2018 o PMDB possa lançar uma candidatura própria. “Vamos consolidar lideranças para elegermos o presidente da República em 2018”, disse Raupp. Pelas contas do presidente em exercício, a aliança nacional deve ser aprovada com cerca de 80% dos votos.

Facebook Comments
Comentar