desempregoApesar da euforia com a realização da Copa no País, o brasileiro está mais temeroso de perder o emprego. O “Índice de Medo do Desemprego” de junho atingiu 76,1 pontos, ante 73,6 pontos em março, representando alta de 3,4%. O dado está presente na mais recente edição da pesquisa trimestral “Termômetros da Sociedade Brasileira”, divulgada na tarde desta segunda-feira (30) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Foi a quinta alta consecutiva do indicador. A maior alta porcentual (5,76%) foi verificada entre as pessoas que estudaram até a quarta série do ensino fundamental, atingindo 73,4 pontos em junho, contra 69,4 pontos de março. Entre pessoas com curso superior, o receio de ficar desempregado ficou em 80,9 pontos em junho, ante 78,0 pontos, em março, ou seja, crescimento de 3,72%. O Sul do País foi a região onde o indicador mais cresceu porcentualmente (7,85%) entre março e junho, passando de 71,3 pontos para 76,9 pontos no período. No Norte e no Centro-Oeste, o medo do desemprego atingiu o maior valor entre as regiões, com 82,4 pontos, em junho; frente 77,0 pontos, em março, alta de 7,01%. Essa pesquisa foi divulgada uma semana depois de o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) apresentar o pior desempenho em geração de vagas para o mês de maio desde 1992, com 58,8 mil vagas com carteira no período, uma queda de 18,3% em relação a maio de 2013. Foram ouvidas 2.002 pessoas em 142 municípios entre os dias 13 e 15 de junho para elaborar o estudo apresentado nesta segunda.

Facebook Comments
Comentar