20151215_171833[1]A rede de esgoto da cidade de Malhada, no sudoeste baiano, iniciada no ano de 2008 pela empresa JV, na gestão do ex-prefeito Anselmo Alves Boa Sorte, está sendo usada de forma irregular por alguns moradores da sede do município.

A obra que faz parte do esgotamento sanitário do Programa de Revitalização do Rio São Francisco está causando certos transtornos para a população malhadense, uma vez que muitos de forma irresponsável estão usando a rede de esgoto sem que a obra fosse concluida e como o sistema não aguenta, a sujeira começa a transbordar em alguns pontos da cidade, correndo assim pelas ruas e incomodando os moradores com um cheiro desagradável, pois são águas de banheiros, pias, sem contar que alguns estão usando a rede como fossas, entre outros elementos. Isso é perceptível tanto na saida da cidade para o distrito de Canabrava quanto ao lado da garagem municipal. O mau cheiro é tanto que chega ao ponto de muitos motoristas evitarem passar pelo local com seus veículos, desviando assim por outras ruas.

Em conversa com a reportagem do site, uma moradora disse que está incomodada com o mau cheiro e não sabe mais o que fazer.

É válido ressaltar que além do uso irregular da rede de esgoto, muitos moradores também vem jogando o esgoto diretamente nas ruas da cidade e na própria margem do Rio São Francisco. Durante a semana ao passar por uma destas ruas, uma moradora incomodada com o odor da água de esgoto que vinha da casa do vizinho, utilizando uma vassoura tentava tirar a água de frente da sua casa e ela dizia que não suportava mais e que ia mudar daquela casa e procurar uma outra casa em outra rua.

Diante do mau uso da rede por parte de algumas pessoas, levando até mesmo a transbordar em alguns pontos, muitos malhadenses estão preocupados com a situação, uma vez que a rede passa no quintal de suas casas, outros até mesmo dentro da própria casa, pois após a instalação da rede, estes aumentaram a casa e as tubulações agora passam por dentro de suas residências, sendo assim pedem providências aos orgãos competentes para punir quem assim está agindo.

A reportagem do site em nome dos moradores prejudicados vem pedir que o poder público passa a notificar os responsáveis, pois esses vazamentos além de danificar os calçamentos das vias publicas, trazendo prejuízos para toda a população que utiliza a via, coloca a saúde dos moradores em risco. Se os moradores ao serem notificados continuarem praticando o ato, é preciso serem punidos com multas, o que não pode é continuar do jeito que está. Acredito que o município de Malhada tem um Código de Postura e que este não dá brecha para os moradores agirem de forma irresponsável, pois é dever de todo o cidadão respeitar os princípios da higiene e da conservação dos logradouros e vias públicas.

Temos aqui quase 4 milhoes de reais enterrados no solo malhadense, valor este que foi investidos nesta obra e mais uma vez o dinheiro público é desperdiçado, afinal foram liberados para o município de Malhada, através do Ministério da Integração Nacional, recursos no valor de R$ 3.859.920,50 para a construção desta obra que parecia resolver o problema do esgotamento sanitário da cidade, no entanto, está transformando em um grande problema para a sociedade malhadense.20151213_113939[1]

Redação: www.mediosaofrancisco.com Edição: Ramilson Xavier

Facebook Comments
Comentar