pai mata



Uma criança de 5 anos morreu após ter sido atingida acidentalmente na garagem de casa pelo carro do pai enquanto ele fazia um conserto no veículo no município de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia. A tragédia ocorreu na manhã desta segunda-feira (15), no povoado de Galinhos. O garoto chegou a ser socorrido para uma unidade médica, mas não resistiu aos ferimentos.

(Correção: ao ser publicada, esta reportagem errou ao informar que a vítima teria 10 anos. Contudo a Coordenadoria de Polícia Civil de Barreiras, a qual pertence a delegacia de Luís Eduardo Magalhães, informou que a idade da criança é de 5 anos. O erro foi corrigido às 19h20)

“Segundo informações, o pai fazia um conserto no veículo dentro da sua garagem, na sua casa. E no momento que ele ligou um fio da ventoinha na bateria, e deu partida no veículo, ele não observou que o filho estava na frente desse veículo. Então, o veículo se precipitou para frente”, relata o delegado Leonardo Mendes. A criança estava brincando na garagem e acabou sendo imprensada.

A polícia detalha que o veículo estava com a marcha ré engatada, mas o pai não percebeu.

O Samu socorreu o garoto ainda com vida e encaminhou para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Antes de dar entrada, a criança não resistiu aos ferimentos. Ele sofreu fratura na coluna cervical e no tórax.

A mãe da criança, grávida de sete meses, passou mal após saber da notícia e foi internada. De acordo com informações da Polícia Civil, o pai pode ser indiciado por homicídio culposo [quando não há intenção de matar].

“O inquérito vai ser instaurado. Ele já foi ouvido aqui na delegacia. Vamos ouvir as devidas testemunhas que estavam no local, que presenciaram o fato. A gente tem a notícia que tinha outra pessoa que o auxiliava no conserto do veículo. Mas eu tenho certeza que diante do fato e diante da dor que essa morte causa ao pai e à mãe, o Ministério Público vai, no momento oportuno, pedir o perdão judicial para que ele não venha sofrer nenhuma sanção. Mas volto a dizer, o inquérito policial é devidamente instaurado e remetido ao Ministério Público. Se os promotores acharem que realmente cabe o perdão judicial, eles vão pedir. Se não, eles vão denunciar ele por homicídio culposo”, detalha o delegado.

Ainda de acordo com Leonardo Mendes, até lá, o pai da criança não ficará preso.

Por G1 BA, com informações da TV Oeste

Facebook Comments
Comentar