ivana-bastos



Apesar do foco dos políticos estar nas eleições municipais deste ano, já começam a despontar nomes que podem concorrer ao Senado em 2018 – nesta semana, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), deputado Marcelo Nilo (PSL), já sinalizou que pretende trabalhar para “ir para Brasília para ajudar o Brasil” (clique aqui e leia). Forte na Casa, com sete deputados, o PSL batalha para se firmar em 2016 e 2017, mas com as filiações recentes não houve tempo hábil para trazer prefeitos à legenda. Também na base governista, outra parlamentar pode entrar na disputa: a deputada estadual Ivana Bastos (PSD), que vem sendo apontada como possibilidade para a construção de uma candidatura na chapa majoritária. “Eu acho que isso está muito cedo. O PSD é o segundo maior partido da base, da Assembleia Legislativa, e o PSD é um partido forte. Mas discussão sobre a candidatura ainda não”, pondera Ivana, que não nega, porém, o desejo de ser congressista. “Existe [vontade]. Sou deputada estadual e existe a vontade de crescer politicamente. Eu sigo a orientação do senador Otto Alencar. Não conversamos sobre isso, mas o que o senador Otto decidir, o que meu partido decidir, estou à disposição”, declara. Para a deputada, a força que o PSL começou a impor na AL-BA não inibe outros nomes além de Nilo. “Nós todos somos da base, nós todos somos aliados. Ainda está muito cedo ainda. O governador está muito bem avaliado, o nosso grupo político está muito bem avaliado. Mas, conversando, a gente resolve isso, com você se desprendendo das vaidades, isso se resolve”, acredita. Consultado, o presidente do PSD baiano, o senador Otto Alencar (PSD) vê como “muito prematura” o início de conversas sobre candidaturas ao Senado e diz não ter “nenhum nome na cabeça”.

Bahia Notícias – Luana Ribeiro

Facebook Comments
Comentar