prefeituram



A Prefeitura de Montes Claros protocoliza hoje, no Tribunal de Contas de Minas Gerais, o dossiê com os dados financeiros do município. Os dados mostram que os 54% destinados aos gastos com a folha de pagamento foram ultrapassados, e por isso será solicitada a autorização para demitir aproximadamente 1.000 servidores contratados. A medida é para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, e o principal argumento é a queda vertiginosa da arrecadação. A lei eleitoral impede que sejam feitas demissões e contratações de servidores durante o período eleitoral, porém, com a presente situação, a Prefeitura não conseguirá pagar os salários dos servidores.

A medida é para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, e o principal argumento é a queda vertiginosa da arrecadação
O prefeito José Vicente Medeiros (PMDB), teve de conviver, no sábado, como fogo amigo. Os aliados do prefeito afastado Ruy Muniz denunciaram nas redes sociais que a precária situação financeira da Prefeitura foi provocada pelo atual prefeito, que teria aumentado o salário de alguns funcionários, que recebiam R$ 1,8 mil, para R$ 10 mil. O denunciante não citou os nomes das pessoas que tiveram o salário majorado nesse nível. Porém, o prefeito José Vicente decidiu que as demissões ocorrerão principalmente nos cargos comissionados em Montes Claros.

A prestação de contas do segundo quadrimestre mostra como a situação da Prefeitura de Montes Claros está crítica, pois teve uma receita de R$ 403.506.587,82 e uma despesa empenhada de R$ 562.151.017,92, o que implica em déficit de R$ 158.644.430,10. Além disso, mostra o orçamento fantasioso criado pelo então prefeito Ruy Muniz (PSB), apenas para efeito de marketing político, de que a cidade passou de R$ 700 milhões para mais de R$ 1,4 bilhão em arrecadação. Na prestação de contas, a receita prevista era de R$ 1.466.354.000,00 e a realizada foi de apenas R$ 403.506.587,82, o que dá a uma diferença menor de 72,4%, ou seja, R$ 1.062.847.412,18.

Somente em arrecadação própria, com os impostos e taxas municipais, a Prefeitura de Montes Claros chegou aos 39,8% do previsto, pois tinha projetado R$ 927.894.000,00 e conseguiu R$ 369.603.116,90, ou seja, uma queda de 60,2%. As receitas de capital é que mostram o caos financeiro da Prefeitura, pois tinha a previsão de arrecadar R$ 487.020.000,00 e só alcançou R$ 2.307.714,23, ou seja, menos de 5% do montante estimado. Isso comprova o orçamento fictício. Nas operações de crédito foram estimados R$ 285.150.000,00 e na alienação de imóveis R$ 110.200.000,00, mas não se conseguiu um centavo nesses dois itens. (Foto: Girleno Alencar)

Fonte: Gazeta Norte Mineira

Facebook Comments
Comentar